RODA DE CURA

 

ARTIGOS

A Roda de Medicina é um poderoso e antigo instrumento de Cura usado pelos povos nativos desde os tempos imemoriais. Ela representa o Universo e é considerada uma ''professora silenciosa" da realidade das coisas, revelando como elas são ou estão e, também, como podem vir a ser. Quando trabalhamos com a Roda de Cura, ela funciona como um espelho que nos mostra as nossas potencialidades e dons que foram colocados dentro de nós pelo Criador e que não permitimos, pelas mais diversas razões, que se desenvolvessem. Quando vemos nosso reflexo neste espelho tomamos consciência das nossas potencialidades não-desenvolvidas e descobrimos o que é preciso fazer para nutrirmos a cada uma delas e, assim, permitirmos o seu amadurecimento.

Ao olharmos a Roda de Medicina, contatamos a nossa identidade que é, no entendimento dos povos nativos, a maneira como se experimenta a presença física (consciência do corpo), a opinião sobre si mesmo e seu potencial (autoconceito), como se sente ou percebe a si próprio e suas habilidades para crescer e mudar (auto-estima) e a capacidade de usar a vontade para atualizar as potencialidades Tísica, emocional, mental e espiritual (autodeterminação).

Muitos povos usam a Roda de Cura como um modelo daquilo que o homem pode vir a ser se decide e age para desenvolver todo o seu potencial. Porem, como acontece com todo o conhecimento originário das mandalas — o Arco é também uma mandala — a influência se dá independentemente da vontade do ser humano. Fitá-la por si só é o suficiente para que inconscientemente as mudanças comecem a se processar. Como diz Celina Fioravanti em Mandalas — a Religação da Alma com Deus Através de Desenhos Sagrados (Editora Ground), a mandala retrata o Universo e "no seu interior se abrigam as forças da natureza representadas em um simbolismo perfeito. Cada mandala cria um campo de poder, um espaço sagrado, onde essas energias se instalam". Elas são, também, um símbolo ancestral que, "como um campo energético de muita força, atuam dentro de nossas estruturas independente da sintonia que tenhamos com elas".

Cada pessoa que olhar para a Roda de Medicina verá as coisas de um modo, pois cada ser é único na sua essência e recebeu uma combinação de dons do Criador para ser usada no desenvolvimento pessoal e no serviço ao próximo. Por isso, duas pessoas verão coisas diferentes quando olharem no espelho dessa "professora silenciosa" que ensina sobre a união de todas as coisas, que toda a Criação vive um estado de constante mudança, de movimento, e que as transformações ocorrem em ciclos e padrões, sem acasos ou "acidentes". Olhando a Roda de Medicina entendemos que os seres humanos podem adquirir novos dons, desde que trabalhem e se empenhem neste sentido.

Para os povos indígenas, esta habilidade para desenvolver novas qualidades é chamada de "aprendendo a verdade". Ela revela, ainda, que há sempre um guia e protetores espirituais para auxiliar aquele que decide iniciara sua jornada de autodesenvolvimento. Ele jamais estará só e nada lhe será dado se não tiver alcançado a força, o vigor e o poder para encontrar e conhecer". A hora de começar esta busca pertence ao coração, ele sabe quando. O caminho é paciente, espera pela vez de cada um e sempre estará ali quando a pessoa decidir começar a trilhá-lo.

A Roda de Cura, também chamada de Elo Sagrado, revela os ciclos da vida e os processos pelos quais o ser humano passa no seu caminho evolutivo. Cada um dos ciclos é honrado de forma sagrada, e isso leva à valorização de cada passo e à aquisição de uma nova compreensão sobre o processo de crescimento, representado pelas energias das Direções e na identificação com cada um dos elementos da natureza, além dos animais, plantas, árvores e pedras.

Como revela a tradição, o Arco Sagrado representa o círculo de lições pelas quais a pessoa passa para completar a jornada na vida física, que começa no nascimento (a Direção Sul na Roda). Assim, a pessoa viajará por este círculo até o Norte, o lugar do ancião e sua Sabedoria. A viagem é feita pelo espírito na borda externa do Elo enviando as mensagens e lições que se precisa aprender. Ao trilhar o caminho da Roda de Medicina deve-se estar atento às oportunidades de crescimento oferecidas por cada direção. Os Espíritos do Vento são os mensageiros das respostas de cada uma das Direções.

A Roda da Cura traz as respostas e a orientação a ser seguida diante de cada situação. Por isso ela pode ser construída para passar lições, chamar a atenção sobre a movimentação de cada ser no círculo da vida, para uma cerimônia de cura específica, para nos ajudar a nos situarmos no mundo, sabendo exatamente onde estamos no momento e o que precisamos viver, transmutar, alcançar, desapegar, morrer e renascer. As Medicinas das Direções no Elo Sagrado são: fé e humildade (Sul), introspecção e objetivos (Oeste), sabedoria e gratidão (Norte), iluminação e esclarecimento (Leste). O alinhamento das direções no Elo é feito pela conexão com os Animais Totens (Coiote ou Lobo, Urso, Búfalo e a Águia). O povo pedra (como são chamados os cristais e gemas) também é honrado porque contém a energia e os espíritos dentro do círculo. Para o homem moderno, o Elo Sagrado serve como um poderoso instrumento de meditação, cura e orações, auxiliando-o a se colocar com maior clareza diante das energias e forças que movem a sua existência. A Roda estimula transformações emocionais, superação de traumas, aumenta a coragem e a segurança das pessoas para enfrentar mudanças e tomar decisões. Resgata a memória da ligação ancestral com todos os aspectos do Universo e o respeito por todas as formas de manifestação de vida.

"O Grande Espírito, cuja voz eu ouço nos ventos e cujo sopro dá vida a todos os seres, ouça-me! Eu venho a Ti como vem uma de suas crianças. Eu sou fraco e pequeno e preciso da Sua sabedoria e de Sua força. Deixe-me caminhar na beleza e faça meus olhos sempre notarem o vermelho-violeta do pôr do Sol Faça minhas mãos respeitarem as coisas que Você fez, e meus ouvidos atentos para ouvir a Sua voz. Faça-me sábio para que eu possa entender o que Você ensinou ao meu povo e a lição que escondeu em cada folha e em cada pedra. Eu peço sabedoria e força, não para ser superior aos meus irmãos, mas para ser capaz de combater o meu maior inimigo: eu mesmo. Faça-me estar sempre pronto para chegar diante de Ti com as mãos limpas e os olhos puros. Quando a vida se extinguir, assim como o Sol se extingue no crepúsculo, meu espírito possa ir ao Seu encontro sem sentir vergonha". (Chefe Sioux Falcão Amarelo).

Fonte: Livro Magia Xamânica, de Derval Gramacho e Victória Gramacho

ARTIGOS